Consulta

Cálculo de Férias → Saiba Aqui Como Calcular as Suas Férias!

Todo trabalhador inicia o ano já pensando nas férias, o tão merecido descanso, há alguns que contam os dias para poder dormir até tarde, não acordar cedo, viver sem preocupações do trabalho.

Um tempo apenas para curtir familiares, visitar amigos, viajar, conhecer novos lugares e culturas, para que logo após 30 dias retorne a sua nova maratona.

Mas para ter o descanso merecido, o trabalhador precisa fazer cálculo de férias, assim poderá realizar planos no período em que estiver ausente do local de trabalho, podendo aproveitar melhor o tempo obtido com muito custo.

O que garante os 30 dias de férias de um trabalhador, são as leis trabalhistas, que fazem parte da Constituição Federal.

Nela diz que uma pessoa que trabalhou durante 12 meses deve ter um descanso renumerado, mas para isso há algumas regras que vamos destacar aqui no texto.

A história não é tão simples como você imagina, completou 12 meses e pronto férias, 30 dias em casa, engano seu, quando o trabalhador completa 12 meses significa que está habilitado a tirar os 30 dias de descanso.

No entanto o patrão é que vai definir quando poderá utilizar do benefício, o empregador tem 11 meses para decidir e liberar o funcionário.

Se por algum motivo o empregador ultrapassar a data limite das férias, pagará uma multa indenizatória ao colaborador que dobrará o valor pago a título de férias.

O que vale é conversar com o empregador, para definir os melhores períodos para se ausentar, em alguns casos a empresa possui programação sem que prejudique ou que desgaste mais alguém.

Como Fazer Cálculo de Férias?

Para se programar vamos entender como é realizado o cálculo das férias, para que no período tão sonhado, você possa concluir objetivos, como viajar, comprar algo que esperou algum tempo, reformar, trocar moveis, o dinheiro das férias tem vários destinos.

O cálculo começa com o salário base do trabalhado, registrado em carteira, adicionado de 1/3 do valor do salário e desse valor adicionado, deverá ser retirado os impostos de INSS e quando houver de IRRF.

OBS: Em acordo com a empresa e desde que não fira nenhuma lei, o trabalhador poderá optar por vender 10 dias das suas férias,

Vamos dar um exemplo de cálculo, para esclarecer um pouco melhor o assunto.

Se por exemplo seu salário seja de R$ 1.500,00 de salário bruto, teve uma média de R$ 100,00 de adicionais (hora extra), e vai tirar apenas 20 dias de férias, a conta é a seguinte:

Valor base = (1500 + 100) / 30 x 20 = R$ 1.066,67

O valor base das férias neste exemplo é de R$ 1.066,67

O Cálculo

A lei garante férias a todo trabalhador registrado em carteia, conforme artigos 129 e 130 da CLT, além de garantir a ausência do colaborador durante período de até 30 dias, também prevê isenção de prejuízo na remuneração.

No entanto o cálculo das férias vai além disso, existem regras a serem cumpridas pelo trabalhador para que no fim possa ter o direito de férias.

Cálculo Com CLT

A CLT prevê que o trabalhador tenha direito de férias após 12 meses trabalhos, contando desde o registro em carteira, quando chega o momento tão esperado, é necessário ficar atento a quantidade de faltas para que não atrapalhe o descanso.

Se um funcionário tiver até 5 ausências injustificadas, poderá gozar até 30 dias de férias, agora se ele tem mais faltas, vai reduzindo os dias, veja:

Quando as faltas injustificadas estão entre 6 e 14 dias, o funcionário terá 24 dias de descanso remunerado.

Em caso mais complicados, em que o funcionário teve entre 15 e 23 faltas injustificadas, a quantidade de dias reduz um pouco mais, indo para 18 dias de descanso remunerado.

Para que o colaborador tire pelo menos 12 dias de férias, que é o mínimo, não pode ter mais que 24 e 32 faltas injustificadas.

Em situações mais extremas em que o funcionário se ausentou durante 32 dias, durante o ano infelizmente não terá férias.

Existem alguns fatos em nossa vida que precisamos nos ausentar, por forças maiores é claro, estas que não contam como falta:

  • Casamento, existem convenções que garantem 3 a 5 dias é bom consultar a empresa;
  • Após o nascimento de um filho, no caso do homem, terá 1 dia;
  • Licença maternidade para as mulheres;
  • Quando doador de sangue, deverá ganhar 1 dia de folga;
  • No caso de justiça eleitoral, 2 dias quando trabalhado;
  • Afastamento pelo INSS, quando acidente de trabalho;
  • No período de cumprimento do serviço militar;
  • No dia de provas de vestibular, ENEM e exame de curso superior;
  • Comparecimento em juízo;
  • 2 dias de luto, quando falecer um parente;
  • Dias que a empresa dispensou;
  • No caso de funcionário público, quando suspenso por medida administrativa.

Estas eventuais situações não podem ser descontadas do período aquisitivo para férias do colaborador.

Proporcionais

Há algumas empresas que permitem o colaborador tirar férias no decorrer do ano, podendo assim tirar 15 e 15 dias no ano.

É comum empresas que possuem férias coletivas terem esse tipo de acordo, como por exemplo escritórios de contabilidade, escritórios de advocacia, todos eles fecham no fim do ano, primeiro porque não tem o que fazer, todos os órgãos estão em recesso.

Na lei o artigo 134 da CLT, parágrafo 1 permite a divisão das férias em duas partes no de correr do ano, desde que esteja de acordo com o empregador, na lei ainda há restrições com algumas idades.

Jovens com idade inferior a 18 anos e pessoas com mais de 50 anos de idade, o empregador deverá conceder 30 dias de férias, não podendo mais dividi-las.

As ausências injustificadas, atrapalham essa divisão das férias, ainda segundo a regra, o trabalhador não pode tirar menos que 10 dias, quando proporcionais, então se chegar ao caso em que tenha apenas 18 dias, não poderá dividir.

Vencidas

Quando você trabalha 12 meses, você tem direito de 30 dias de descanso remunerado, você deverá se ausentar da empresa com até 1 dia para vencer o seu segundo período de férias, que aquela história de 1 ano e 11 meses, você deve sair pelo menos um dia antes de vencer as segundas férias.

Se por ventura essa regra garantida pelo Artigo 137 da CLT, for quebrada por qualquer motivo o colaborador receberá a título de indenização o dobro das férias.

A CLT também garante outras facilidades ao trabalhador, em alguns familiares trabalham no mesmo local, o que é permitido que tirem férias juntos e para menores de 18 anos, poderá tirar férias no mesmo período de férias escolares, o indicado é conversar com o empregador e definir as melhores datas.

Em até 30 dias antes se ausentar o colaborador receberá por escrito o período de férias, quantos dias e quando será o retorno.

O mais importante e aguardado é o pagamento, acontecerá até dois dias antes de sair de férias.

Vendidas

Além do salário o colaborador tem o adiantamento do período de aquisição, suponhamos que tire 20 dias, vendendo 10 para a empresa.

Vimos essa formula, lá em cima, então recapitulando:

Se por exemplo seu salário seja de R$ 1.500,00 de salário bruto, teve uma média de R$ 100,00 de adicionais (hora extra), e vai tirar apenas 20 dias de férias, a conta é a seguinte:

Valor base = (1500 + 100) / 30 x 20 = R$ 1.066,67

O valor base das férias neste exemplo é de R$ 1.066,67

Isso é equivalente a 1, ainda falta aquela terço de fração, veja como é feito o cálculo da fração:

Sabemos que você tem direito a receber R$ 1.066,67, calculamos da seguinte forma

Recebíveis: R$ 1.066,67+ (1066,67 / 3) = R$ 1.066,67 + 355,33 = 933,33

Assim, se você tem direito a R$ 700,00 de valor base, conforme o exemplo anterior, soma-se a esse montante um terço de R$ 700,00. Dessa forma:

Total de proventos = 700 + (700 / 3) = 700 + 233,33 = R$ 1.422,00

O total a receber é de R$ 1.422,00, mais o seu salário de R$ 1.500,00 total de R$ 2.922,00.

Descontos

Nem tudo nessa vida são flores, os descontos também fazem parte das férias, isso porque existe órgãos governamentais que usam o dinheiro para movimentar o país, como o caso da previdência social, quando contribuímos aqueles percentuais ao INSS ou no Imposto de Renda.

20 Dias

Falamos no decorrer do texto sobre 20 dias, que é abono pecuniário, conhecido como venda de 10 dias das férias, fique tranquilo que é isso é totalmente legal e amparado pela lei.

Mas quem decide isso é o funcionário, se vende ou não, pois nos dias vendidos, o colaborador irá trabalhar, para que no mês seguinte venha o provendo dos dias trabalhados.

Você pode conferir no Artigo 143 da CLT o amparo legal para o Abono pecuniário, lembrando que a empresa precisa receber o aviso com até 15 dias antes de sair de férias.

Existem situações que devem ser analisadas com cautela, como exemplo de férias coletivas e venda de férias, para isso é necessário um acordo coletivo entre a empresa e o sindicato, que definirá as regras

Empregada Doméstica

Há muitas mulheres que trabalham como doméstica para sustentar sua família ou até mesmo completar a renda, mas saiba você que trabalha em casa e fora de casa, tem direito a férias, sim você tem direito a 30 dias de descanso.

As regras são bem parecidas com a da CLT, no entanto alguns detalhes são diferentes, então só para que fique claro, se você trabalhou 12 meses seguidos em uma com doméstica, você é habilitada a se ausentar por 30 dias com remuneração.

O valor a receber é um salário acrescido de 1/3 da remuneração recebida pelo empregador, quando completo os 12 meses, poderá marcar uma data do ano para gozar de férias.

Agora começas as diferenças, pois a Convenção 132, pelo decreto 3197 feito pelo presidente em 1999, assegurando as mulheres que trabalham no lar de outras famílias como domesticas, teriam o direito a receber férias.

Podendo ser integral, proporcional, podendo ser até por demissão, assim como na CLT o pagamento deve ser feito até 2 dias do funcionário se ausentar.

No caso de doméstica, o papel inverte no caso do abono pecuniário, nessa condição o empregador, poderá solicitar que 1/3 seja vendido, a troca dos 10 dias, ou seja, o seu patrão pode pedir que você tire 20 dias de férias e não 30, esse pedido deve ocorrer até 15 dias antes de se ausentar de férias.

Você deve ta se perguntando, devo aceitar a venda dos 10 dias? Não, as duas partes devem entrar em acordo para decidir o que é melhor para as duas partes.

O registro em carteira é um pouco diferente de uma empresa, então quando uma doméstica se retirar de férias, o empregador deverá registrar o período nas anotações da carteira de trabalho, informando período.

A empresa pode solicitar ao funcionário a carteira de trabalho para que possam atualizar os dados de registro, lembrando que a lei permite que a empresa permaneça apenas 48 horas com o documento do colaborador.

Assim como na CLT se o empregado doméstico, tiver trabalhado e por algum motivo, foi dispensado, na rescisão receberá o valor proporcional os dias trabalhados, para pelo ex-patrão.

Cálculo Online

Na internet há diversos sites online que fazem o cálculo das férias para você, além disso respondem com informações detalhando o valor a ser pago pelo empregador.

Basta preencher os campos disponíveis na tela e pronto, poderá facilmente calcular o valor das férias.

Apenas devemos tomar cuidado ao preencher, pois consta informações que podem gerar conflitos internos com outros colaboradores.

Estes são os principais argumentos para conseguir tirar férias.

Se você gostou desse artigo ou está próximo de sair de férias ou conhecem alguém, compartilhe nas redes sociais, agora mesmo e vão juntas.

Se você tem dúvidas sobre tirar férias ou o cálculo de suas férias, você pode registrar aqui na nossa página.

1 Star2 Stars3 Stars4 Stars5 Stars (6.451 votes, average: 3,98 out of 5)

Sobre a Autora

Camila Bertolli

Olá, eu sou a Camila Bertolli, dona do blog e escritora a algum tempo!
Sempre que possível tento trazer os melhores conteúdos, então, acompanhem para se manterem atualizados. Não esqueçam de deixar seus comentários rs 🙂❤

Deixe um Comentário